Blog

10 grandes capas de discos

Para tirar a poeira deste site, decidi fazer um tributo a algumas capas de discos que não recebem a atenção que merecem, pelo menos na minha opinião. Ou seja, na lista que segue, evito escolhas óbvias como Sgt. Pepper e Abbey Road (e qualquer outra produção dos Beatles, na verdade), Nevermind, Dark Side of the…Mais

Lebowitz, Roth, Levi, e os livros como portas

Eu queria usar de novo uma frase que apareceu em um texto anterior meu neste site. É da escritora Fran Lebowitz, dita no documentário sobre ela dirigido pelo Martin Scorsese: um livro não deve ser um espelho. Deve ser uma porta! A Lebowitz se refere ao fato de que ela não se via retratada nos…Mais

O que fazer com artistas “cancelados”

O autor inglês Ray Monk abre sua biografia do filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein com a seguinte frase, do também austríaco Otto Weininger: Lógica e ética são essencialmente a mesma coisa – dever para consigo mesmo. Eu gosto demais desta frase. Para mim, ela tem o ar de uma afirmação matemática, o que faz dela até…Mais

Auster é melhor do que eu (mesmo na imaginação)

O grande e saudoso Philip Roth não perdia uma chance de dizer o quão doloroso era escrever – apenas um dentre vários outros exemplos é a frase que aparece nesta coletânea: Escrever é frustração – é frustração diária, sem contar a humilhação. É como no beisebol: você fracassa dois terços do tempo. Não que seja…Mais

A verdade nos detalhes

Um amigo meu, quando ia viajar a passeio para algum país e queria comprar um guia de viagem, usava uma técnica bem especial. Digamos que ele quisesse ir à França; então ele pegava na livraria alguns guias de viagem sobre o Brasil (Frommer’s, Lonely Planet, Fodor’s etc.), lia algumas páginas de cada um deles, e…Mais

Contra a filosofia, contra os filósofos

1. Antes de mais nada, eu só gostaria de deixar registrado que este texto não é uma crítica à filosofia como um todo, nem à filosofia como opção profissional ou curso universitário, nem a todos os filósofos tomados indiscriminadamente. Me refiro apenas a algumas formas bem específicas de se “praticar filosofia”, se é que podemos…Mais

Uma tradução: Borges, Os justos

Os justos, poema de Jorge Luis Borges Um homem que cultiva o seu jardim, como queria Voltaire. O que agradece que na Terra haja música. O que descobre com prazer uma etimologia. Dois empregados que, num café do sul, jogam um silencioso xadrez. O ceramista que premedita uma cor e uma forma. O tipógrafo que…Mais

Lições turísticas, com Trefethen e Arlt

Já falei da coletânea de fichas do matemático Lloyd Trefethen em outro texto neste site. Aqui vai mais uma meditação interessante do Trefethen publicada naquele livro: Numa exposição breve, a cultura estrangeira pode parecer mais estrangeira do que ela realmente é. Naturalmente, nós nos fixamos nos cheiros estranhos e nos costumes desconhecidos, e, particularmente se…Mais

Tolstói estilista vs. Tolstói moralista

O russo, eventualmente naturalizado norte-americano, Vladimir Nabokov considerava o seu conterrâneo Liev Tolstói um gênio das letras, no mesmo nível de outros gigantes como Shakespeare, Milton e Púchkin. Mas o Nabokov era bastante seletivo em seus elogios: por exemplo, ele adorava Anna Karenina e A Morte de Ivan Ilitch, mas detestava Ressurreição e A Sonata…Mais

A Escandinávia funciona mesmo?

No nosso país, é bastante comum certa visão de que as coisas no dito Primeiro Mundo “funcionam”: não existe pobreza, as leis são cumpridas por todos, as ruas das cidades são limpas e organizadas, e por aí vai. Ainda que muito disto seja verdade, certamente há muita coisa nestes países que foge da imagem paradisíaca…Mais

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.


Siga meu blog

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.